segunda-feira, 25 de junho de 2012

Pitacos sobre a Casa de Criadores



A convite do Closet On Line, fui cobrir o último dia da Casa de Criadores, incubadora de novos talentos da moda nacional. Desta vez, os desfiles aconteceram no Memorial da América Latina, na Barra Funda. Eis aqui os meus vinténs sobre a edição:

Viva os concretistas! As referências à essa estética se fizeram presentes nas coleções da Jacinto, dirigida pela dulpa Glaucio Paiva e Douglas Pranto, e Virgílio Couture, encabeçada por Virgílio Andrade. A prmeira marca, como sempre, muito chic. costura para uma mulher elegante e que não tem medo de sair do "arroz-com-feijão" da moda cintura marcada, tão propalada na nossa Pindorama Fashion. 

Fazendo boa estreia, Virgílio, que já foi assistente de Samuel Cirnansck, deu mostras de que absorveu bem os ensinamentos do ex-chefe. Digo isso pelo primoroso acabamento de suas peças, que poderiam ser tranquilamente vestidas pelo avesso.  trabalho de retecidos do estilista é também muito interessante. Estou ansioso para ver outras criações.

Jacinto 

Virgílio Couture

Se oriente, rapaz! Preste atenção à nova tendência-polêmica que volta com cara de nova, mas que já é mais velha que andar pra frente: macacões e jardineiras! Para eles, princpalmente. A peça já deu o ar de sua graça no desfile da Colcci, no SPFW e deu as caras novamente na passarela da Casa de Criadores, nos desfiles de Luiz Leite e Jadson Raniere. Melhor garantir o seu agora antes que inflacione!

Luiz Leite

Bossa & Fossa Não sei se é frescura do bloguista que vos fala, mas senti algo de pesado na atmosfera da CdC... não sei bem se estava sugestionado pelo clima estressante do final do semestre, mas parecia estar suspenso um não sei quê de tristeza que foi potencializado com a parada súbita da música ao final dos desfiles, deixando no ar apenas o silêncio da plateia... #TortaDeClimão

O que importa é que houve momentos de descontração. A coleção da Juss, por exemplo, propôs um rapazinho mezzo nerd, mezzo esportista, vestido de neoprene e estampado de Guilherme Kramer, talento das artes plásticas - isso sem contar os gananciosíssimos sapatos. Juliana Souza sempre traz uma boa dose de humor a suas peças, mas sem cair no literal nem no ridículo.



Outro ponto divertido foi a participação da banda Mustache & Apaches no desfile da marca de roupa de praia Sta Victória. A coleção em si, pouco cativante: pouco styling para uma etiqueta de trajes de banho, estamparia de gosto duvidoso e entradas infinitas. A banda, no estanto, sustentou o look e contagiou a plateia com o ritmo rebolante do Ragtime Jazz.



Comendo pelas beiradas Disse na minha resenha oficial, publicada no Closet On Line, que Alê Brito parecia aquele menino que estudou contigo no primário. Sabe, aquele bem quietinho que só ficava observando, mas que quando abria a boca deixava a professora, os colegas e a merendeira que estava passando no corredor estarrecidos? Pois! Este é Alê Brito. O estilista tem um trabalho que impressiona tanto pelo seu apelo estético quanto pela qualidade de sua execução. Em um país onde a mão de obra do setor têxtil é pouco qualificada e muito escassa, Alê tira costureiras da cartola para confeccionar suas bonitas jaquetas de couro e de materiais iridescentes - minhas prediletas, aliás. Outro fator pelo qual se deve apreciar seu trabalho, é a capacidade de trabalhar um tema já tão saturado: o punk e sua estética, de forma que o produto final resulte diferente e desejável. Allez, Alê!


Não é bairrismo! Apesar dos pesares, gosto muito de Santo André, minha terra natal. Passei a gostar mais ainda quando descobri que ela é um celeiro de talentos das modas! O editor André Rodrigues e o estilista Arnaldo Ventura são alguns dos meus competentes conterrâneos. Gosto do trabalho de Arnaldo porque ele não se limita apenas à roupa.Assim como não se deve entregar um presente desembrulhado, não se deve apresentar uma coleção por apresentar.Por mais simples que seja, a produção em volta das roupas contribui muito na transmissão da ideia do estilista. Arnaldo, assim como Ronaldo Fraga e Alberto Hiar, da Cavalera, é muito competente na produção de seu mise-en-scène. Desta vez, sua apresentação foi mais enxuta, mas nem por isso tediosa. O tédio, aliás, passou longe de sua coleção. O desfile foi um banquete de texturas e modelagens interessantes. Um estilista, quando munido de boa técnica e boas ideias, faz verão, sim senhor!


Ficamos no aguardo da próxima edição. 

Um tchauzinho da Juliana Souza, da Juss

Um comentário: