quarta-feira, 16 de março de 2011

Moda e Corpo

 

Parece um pouco óbvio pontuar qual a relação entre moda e corpo. “Augusto, seu pazzo! As roupas servem pra cobrir o corpo!!!” No entanto, o assunto não acaba aí. Moda e corpo têm uma relação bastante complexa e muitas vezes dolorosa.

Atire a primeira pedra quem nunca espremeu os dedos dos pés só para entrar naquele par de sapatos lindo, ou quem nunca fez regime – eu nunca fiz porque fui geneticamente privilegiado – ou ainda quem nunca correu uns bons kilômetros na esteira só para tentar dar aquela disfarçada nas coxas moles? Tudo isso se relaciona com as interações moda/corpo.

Odeio dieta“ODEIO DIETAAAA!!!!!”

Posso estar me repetindo, mas moda vai além das roupas. A moda abarca comportamento, gosto pessoal e modelos – entre outros. Uma vez estabelecido um ideal de beleza, as pessoas tendem a fazer – quase – de tudo para atingi-lo. A frase parece um clichezão, mas essa é uma dinâmica muito antiga! No Egito Antigo cabeças compridas eram muito apreciadas o que fazia com que as mães apertassem a cabeça dos filhos recém nascidos com faixas muito bem amarradas (ai!).

Os padrões de beleza mudam constantemente. Até os anos 20 era chic ter a pele clara. O bronzeado denotava trabalho rural e trabalho rural era CA-FO-NA! Com a chegada dos “Anos Loucos”, passar férias na Riviera francesa era muito chic, logo a pele bronzeada passou a ser hype. Engraçado perceber que o que hoje é belo, amanhã é ridículo. Imagine a Vênus de Botticelli na capa da Vogue. Difícil, né não?

Vênus“Venus, u’r soooooooo last week!”

Outra relação que podemos estabelecer entre moda e corpo é uma espécie de “body-modification”. Só para situar o nobre leitor, “body-modification” consiste em qualquer modificação que se faz no corpo, desde cortar o cabelo até se suspender pelos mamilos (ai²!!!). Há roupas que dão novos contornos – às vezes permanentes – ao corpo, modificando a silhueta. É o caso dos espartilhos e do sapato scarpin.

Frente a tudo isso, parece que Elsa Schiapparelli estava correta quando disse que não são as roupas que devem se adaptar ao corpo e sim, o corpo que deve se adaptar às roupas.

Espartilho Cinturinha de pilão!

E você? O que acha? Vale a pena se espremer num espartilho? Fazer plástica? Dê sua opinião.

Um comentário:

  1. Isso realmente é uma coisa que a moda impõe... esse padrão estético, de que pra ser bonita tem que ser magra.
    Eu já fui magÉRRIMA e hoje sofro pra emagrecer!
    Acho que "intervensões" são válidas quando é uma questão pessoal, mas não para agradar o mundo... e sim, a si próprio.
    Eu adoraria ficar linda numa calça de couro, (voltar a) ter pernas mais finas... querendo ou não, a roupa fica sim mais elegante... porque (infelizmente) é a estética que a moda (e o meio) impõe.

    ResponderExcluir