quarta-feira, 30 de março de 2011

Manifesto #2: Aos amigos uspianos – e a quem mais interessar (atualizado e corrigido)

each



Mal o ano chegou à metade, já aconteceram muitas coisas significativas nesse mundão de meu Deus: bate-cabelo no Oriente Médio, terremoto + tsunami no Japão, clipe novo da Stefhany e, mais recentemente, o vazamento e divulgação do relatório que propõe reformulações na Escola de Artes, Ciências e Humanidades, a EACH-USP, minha querida escola!

O documento foi redigido por um Grupo de Trabalho composto por sete docentes da Universidade de São Paulo e propõe mudanças um tanto drásticas no campus e nos cursos da USP-Leste. Durante este mês, o relatório vazou e foi publicada matéria no portal IG comunicando em primeira mão as tais mudanças. Uma delas seria a possível extinção do curso de Obstetrícia. A esse respeito posiciono-me contra, afinal, a demanda por obstetrizes (não sabe o que significa? Google, melbem!) é comprovada. O que acontece é que os conselhos de enfermagem [COFEN e COREN] não reconhecem o curso (#FAIL), o que se faz necessário para que os formados possam exercer sua profissão.

Falarei aqui sobre o Bacharelado em Têxtil e Moda. O documento fala bem sobre o curso, ressaltando seus pontos positivos: a alta procura (15 candidatos/vaga no último vestibular), suas grandes parcerias internacionais, a alta empregabilidade dos alunos egressos e as interessantes optativas oferecidas, que servem como especialização. Apesar de o relatório não propor nenhuma mudança em relação ao curso, os professores da graduação decidiram fazer algumas mudanças. Dentre as reformulações, consta um corte de 30 20 das 60 vagas oferecidas e mudança no nome do curso para Design de Têxtil e Moda – a troca do nome implica em reformulação da grade curricular.



Novas disciplinas incluem “Estudos Aplicados da Hipsterologia 1 e 2”

O que aborrece os alunos de Têxtil e Moda é que esses câmbios foram propostos pelos docentes sem que os alunos fossem consultados.

Como já era de se imaginar, a divulgação do relatório e das mudanças no curso de moda deixou os alunos em polvorosa. Os da USP Leste, que temem por mudanças muito drásticas e os da USP Butantã que são temerosos de que a tal reformulação chegue à zona oeste. Há também uma terceira categoria: os alunos que ficaram ouriçados com a oportunidade ímpar de exercitar seu trololó pólítico pseudo-esquerdóide.



Pichação feita hoje contra a tirânica reitoria

Esta manhã, durante a aula de Sociologia da Moda, fomos interrompidos por duas alunas do curso de Ciências Sociais – ministrado no campus Butantã. Devo dizer que o discurso me assustou um pouco. A oradora dizia que a reformulação atingiria “tanto a EACH quanto a USP” e que não deveríamos nos sentir sozinhos, pois poderíamos contar com o apoio dos discentes de Ciências Sociais. Por fim, questionou a eficiência da reitoria e nos convidou todos a engrossar um protesto.

A ela, cujo nome furtei-me em perguntar, lanço a questão: quantos alunos de Ciências Sociais, ou de qualquer outro curso da USP Butantã, dignaram-se a ir aos confins da zona leste (ou zona lost, como preferir) perguntar aos alunos de Têxtil e Moda se estamos de acordo com a reformulação a que nosso curso está sujeito? Não me recordo de nenhum… Depois, “tanto a EACH quanto a USP”? Really? Somos tão uspianos quanto qualquer estudante da USP Butantã. Também passamos na Fuvest, também comemos sobremesas exóticas no bandejão e também sofremos com o Setor de Graduação.

Say whaaaaaaat?!


Agora, quanto à ajuda… puxa, fico extremamente comovido ao saber que temos colegas uspianos tão beneméritos em nossa instituição! – Pausa para enxugar a gorda lágrima que rolou de meu olho esquerdo. Francamente? Poupem-nos dessa falação falaciosa (perco o amigo, mas não perco a aliteração!) Poupem-nos do lobby barato e pensem duas vezes antes de nos convidar a bater panelas!

O que as duas moças muito provavelmente não sabem é que a Têxtil – é esse o apelido de “Bacharelado em Têxtil e Moda” – se beneficiará muito com a reformulação. Classes com número de alunos reduzido otimizam a qualidade do ensino. Botando em termos mais palpáveis, imagina dar assessoria de trabalho para 60 alunos! E aula de desenho então? Modelagem, pior ainda! Ainda por cima, a redução de vagas vai amenizar o problema da falta de docentes capacitados para Têxtil e Moda. A USP só contrata professores com título de doutorado. Diz aí quantas modelistas doutoras você conhece? (Se conhecer, mande um email pra EACH! Há vagas!). E outra: há salas superlotadas. Em algumas aulas cujo índice de repetência é grande, há alunos sentados no chão.

Aula de Estatística 3, segundo período.


Portanto, meninas de Ciências Sociais – e a quem mais puder interessar – BACK OFF!!!!!!!!! Não percam seu precioso tempo tentando pescar votos para a próxima eleição do DCE – Diretório Central dos Estudantes – e, por favor, empreguem seu espírito benemérito em nos poupar do blá blá blá e da politicagem.

A quem não é da USP, não será atingido pelas mudanças, nem teve a aula de Sociologia da Moda interrompida, fica meu recado: Não deixem que tomem as decisões por você! Pois foi dada hoje a prova de que é isso que estão tentando fazer conosco.

*  *  *

Obrigado a @franfrane pela ajuda!

Nenhum comentário:

Postar um comentário