domingo, 14 de novembro de 2010

Manifesto #1 - Sobre a Homofobia e a Liberdade de Expressão

Leitores, leitoras e congêneres,

Aqueles do meu convívio já estão cansados de me ouvir dizendo que moda é muito mais do que blusas, calças, sapatos, acessórios etc. Moda é tudo que nos cerca, moda é modo. Se a vida fosse uma análise sintática, a moda seria o adjunto adverbial, com certeza.


"Jente, analize sintatica é muinto difisil!!!!! xD"

Esta semana fiquei especialmente estarrecido com o Universo ao meu Redor. Uma verdadeira enxurrada de notícias que me deixaram bastante revoltado - sangue espanhol esquenta fácil. Para começar, @Rafa_Paulino me manda um link que diz que existe uma medida legal que impede homossexuais de doar sangue (). De acordo com os "home da lei", os gays são mais suscetíveis a contrair e transmitir o vírus do HIV. Eles dizem se basear em estudos científicos. Não sou biólogo, cientista nem coisa do tipo, mas me parece que esses estudos foram publicados em mil-novecentos-e-Hebe-Camargo-no-primário. Gostaira, sinceramente de um esclarecimento e uma cópia dos tais estudos!


"Ué?! Cadê o estudo, suas graxiiiiiiinha?!??!"

Depois, @CeciLima envia-me link referente ao repúdio manifestado pela Universidade Presbiteriana Mackenzie a respeito da Lei Homofobia, que criminaliza qualquer expressão preconceituosa contra homossexuais. O manifesto lançado pela instituição calca-se no direito a livre expressão. Gostaria que a direção da instituição viesse falar de "direito de livre expressão" a todos aqueles que já foram ofendidos e agredidos de qualquer maneira em qualquer ambiente - escolar, doméstico, profissional etc. Seguindo a filosofia arcaica e imbecil (estou exercitando minha livre expressão :D) da Universidade Presbiteriana Mackenzie, pode tudo! Pode andar pela rua e chamar homossexual de "viadinho", pode dobrar a esquina e xingar um negro de "crioulo", pode tudo, meu Brasil! É o samba do crioulo viadinho doido!!!

Como fez o titio Pôncio, o Mackenzie lavou as mãos e tirou o deles da reta! (Livre expressão é bem legal. Valeu, Mackenzie!!!)


"Bees, eu lavo minhas mãos!"

A cereja do bolo foi a notícia de que um grupo de cinco adolescentes - quatro deles menores de idade - agrediu outros dois jovens na Avenida Paulista, na manhã deste domingo. Depois, o grupo atacou mais três jovens. De acordo com a delegacia que investiga o caso, as agressões teriam fundo homofóbico. Os agredidos foram atacados com uma barra de lâmpadas.

Pergunto-me se isso se trata de uma boçalidade ou se é apenas uma maneira que esse grupo de jovens transgressores encontrou para expressar sua não conformidade a respeito das relações homossexuais...

"Legitimação de uma forma expressiva pós-moderna e explosiva ou pura boçalidade? Ó dúvida cruel!"

O bom disso tudo - se é que há algum saldo positivo - é que essas notícias estão vindo ao conhecimento do grande público e o grande público não está muito feliz com elas. Façamos com que esses atentados aos direitos humanos atinjam o maior número de pessoas possível e com que a nossa voz, a voz da OPINIÃO PÚBLICA, seja ouvida.

É isso.

Leia o Manifesto do Mackenzie aqui: tinyurl.com/2uhj6fk
Leia a notícia sobre a agressão aqui: tinyurl.com/36zu893

4 comentários:

  1. Acredito que a homofobia não passa de um produto da repressão e da falta de senso crítico/analítico da sociedade. Em suma, defendo que qualquer ser humano pensante percebe que o ódio aos gays não passa de uma modalidade de hostilidade, barbárie e incivilidade.
    Parabéns pelo texto.

    ResponderExcluir
  2. "A Igreja Presbiteriana do Brasil MANIFESTA-SE contra a aprovação da chamada lei da homofobia, por entender que ensinar e pregar contra a prática do homossexualismo não é homofobia, por entender que uma lei dessa natureza maximiza direitos a um determinado grupo de cidadãos, ao mesmo tempo em que minimiza, atrofia e falece direitos e princípios já determinados principalmente pela Carta Magna e pela Declaração Universal de Direitos Humanos"

    Assim: se alguém ENSINA e PREGA CONTRA o homossexualismo, está fazendo, claramente, apologia ao preconceito, pois está formando opiniões (imbecis) de vários jovens (também imbecis, por escutarem esse monte de merda) que acharão que isso é errado e, a partir daí, tomarão atitudes preconceituosas. E, além disso, estará, AI SIM, ferindo o direito de livre expressão, porque os homossexuais não poderiam, por exemplo, andar de mãos dadas nas ruas sem correr o risco de violência (verbal ou física), enquanto os LINDOS e AMADOS heterossexuais se AGARRAM nas portas do metrô (é mentira?), em verdadeiros casos de atentado ao pudor, sem que sejam sequer incomodados.

    E só uma constatação: O Mackenzie está CHEIO de "viadinhos". HA HA.

    ResponderExcluir
  3. Bom meninos...já disseram tudo aqui então resta-me pouco a não ser lembrar que na República das bananas onde na Parada Gay de São Paulo com milhões de pessoas, políticos e aparecidos.com sobem aos trios elétricos e aparecem como defensores dos direitos dos homossexuais e efetivamente fazem muito pouco com o que diz respeito a leis! Sem esquecer a hipocrisia que impera neste país que se diz "sem preconceitos".

    ResponderExcluir
  4. Elza Navarro Paz Rodrigues15 novembro, 2010

    Tenho a dizer: Primeiro a classe mais contaminada com HIV, é a classe das mulheres intituladas “ bem casadas”, pois seus homens “machões” , “pulam a cerca” e claro! Se recusam a usar camisinha, pois feri o ego machão deles e depois contaminam suas parceiras de uma maneira silenciosa e covarde. Esses mesmos machões, ensinam aos seus filhos “esses delinqüentes” da avenida paulista o preconceito contra “viadinhos”, “crioulo” ,etc, pois fazem piadinhas, riem, ridicularizam,enfim, qualquer outra imagem diferente do padrão deles “barriga cheia de shop e cuspindo no chão” é visto com preconceito . Pra finalizar, esses políticos citados, estão na parada Gay para garantir o retorno no ano que vem desses “palhaços” como eles pensam, pois esses “palhaços” trazem muito dinheiro a cidade de São Paulo todos os anos.

    ResponderExcluir