segunda-feira, 12 de julho de 2010

Homem de bolsa?! - O Dilema dos Acessórios Masculinos

"Augusto, tem certeza que você vai sair com essa bolsa?"

Foi o que meu pai me perguntou quando me viu pronto para ir trabalhar: de camisa em xadrez vichy P&B, calça preta, blazer azul marinho, sapatos pretos e uma bolsona verde fluo. 

"Sim, sim" Respondi com um aceno de cabeça.

"Não é perigoso???" Ele retorquiu.


A perigosa bolsa fluo! (Customizada by me)


E realmente é perigoso, vide minha aventura na estação de Presidente Altino. Perseguições à parte, meu ponto é: os homens também gostam de acessóros, mas a oferta de itens e badulaques para o público masculino é escassa!

Não digo que seja inexistente - de fato, não é - mas a oferta de acessórios para o público masculino deixa bastante a desejar. A História não me permite mentir, os homens gostam de se enfeitar. Esse comportamento se acentuou no Rococó, mas se retraiu depois da segunda revolução industrial. A partir de então, o homem precisava mostrar à sociedade que era um indivíduo trabalhador, honrado e sério. Para tal, despiu-se de tudo que insinuasse frivolidade, nessa, os acessórios foram cortados quase que totalmente do indumento masculino.


"Homem de brinco, bolsa e lencinho! Que pouca vergonha!!!" - Dustin H. e anúncio Tom Ford


Atualmente, parece que essa tendência muda, mas muda muito lentamente - como tudo que tange a moda masculina. Os acessórios disponíveis nos grandes magazines não vão muito além dos cachecóis, luvas e óculos, o que prova que o grande público ainda não está disposto a adquirir itens mais ousados (ou que os diretores dos grandes magazines não estão dispostos a ousar).

A questão é que existe um público - longe de ser pequeno - que está disposto, e muito, a comprar e usar itens diferentes e até então um tanto estranhos ao vestuário masculino. Esses rapazes procuram por bolsas, anéis, brincos, colares, echarpes e tantos outros produtos que são geralmente usados por mulheres. Sendo pobre a oferta desses, a alternativa é recorrer ao guarda-roupa feminino. O resultado muitas vezes beira o ridículo. Todavia, é perfeitamente possível usar itens do universo da mulher sem virar motivo de piada.


@pedrowl e Rafael Caetano - Bolsa e calça justa não são sinônimos de homem ridículo


Em minhas pesquisas sobre gênero, notei algo interessante: a mulher que se veste como homem - pensem em Chanel, Marlene Dietricht etc - é respeitável; o homem que se apropria de itens do universo feminino - pensem em homens com roupas justas, bolsa e maquiagem - é risível.

Fica, então, o "ultimato fashion": ou mudamos nosso pensamento, ou que as marcas comecem a pensar nos homens que querem possuir uma bolsa especialmente planejada para eles.


6 comentários:

  1. Acho que as vezes,o problema é quando a bolsa é feminina...mais acho que hoje em dia tudo vale.

    ResponderExcluir
  2. Bom cada um tem o direito de usar o que quiser. Creio que optar por modelos masculinos ou não tão femininos ainda é a melhor escolha.

    Ser homem não é desculpa pra se vestil mal mas também não exagere!

    ResponderExcluir
  3. acho valido contanto que se adeque ao estilo de quem vai usar! acho que carteiras, celulares e afins nos bolsos gongam um pouco a silhueta, #superafavor! da bolsa masculina!

    ResponderExcluir
  4. Acho que os guarda-roupas feminino e masculino têm mais é que ser usados tanto por homens, como por mulheres. Mix em prol da democracia fashion já! haha. Adoro a chanel-fluo! :D Beijo!

    ResponderExcluir
  5. Acho que os guarda-roupas feminino e masculino têm mais é que se misturar. Democracia fashion já! haha. Adoro a chanelfluo. Beeeijo, Vivy

    ResponderExcluir
  6. Muito linda as bolsas, pena que aqui em Manaus é dificil de encontrar!!! :(

    ResponderExcluir