sábado, 31 de julho de 2010

Sapatos Matadores

Minha amiga Frane (@franfrane) - aquela que produziu o  editorial XY comigo - me indicou um site simplesmente marabeijos: If Shoes Could Kill. Trata-se de um blog que mostra os sapatos mais insanos do mundo fashion.

Fiz uma seleção das peças que encontrei por lá. Quem quiser ver todas deve acessar: If Shoes Could Kill.



























terça-feira, 27 de julho de 2010

Fur is Murder???

A Eco-Fashion tem tomado conta das rodas de discussão e das publicações de moda. Ouve-se falar sobre eco-bags, peças carbon-free e tantas outras coisas. Mas, fato é que boa parte dos estilistas e pessoas do meio que apregoam a Moda Verde entendem pouquíssimo sobre o assunto. O Glauco Sabino, do Descolex já falou sobre.

Imagens: Reprodução

Criações verdes (mesmo!) dos estilistas do Project Runway


A consequência disso é que somos bombardeados com informações que não passam de baboseira. Antes de tentarmos abraçar o mundo com as pernas, temos de nos dar conta de que o mercado do ecologicamente correto é, antes de tudo, um MERCADO, ou seja, visa lucro - nem que para isso seja necessário estampar os jornais com manchetes que anunciem o fim do mundo.

O ponto aonde quero chegar é o seguinte: uma boa parcela desse discurso ecológico é demagogia pura. Tomemos o exemplo dos casacos de pele. Muita gente torce o nariz e fala que é crueldade. Já cheguei a ler a expressão "Holocausto Animal" fazendo referência ao uso de peles. De fato, algumas marcas de segunda linha não dão muita atenção ao trato com os animais. Entretanto, basta pesquisar um pouco sobre o assunto para perceber que a realidade é outra. As marcas que trabalham com peles certificadas oferecem condições adequadas aos animais que serão abatidos. Isso se reflete diretamente na qualidade de produto final.



Mesmo assim, se você ainda acha que usar pele - mesmo que certificada - é uma mostra de crueldade, pense duas vezes antes de sair por aí vestindo seu jeans preferido. Há grandes chances de que ele tenha sido confeccionado em uma oficina de Bombaim por uma menina de menos de dez anos que recebe menos de um dólar por peça fechada.

Não sou contra a Eco-Fashion. Sou contra as mentiras do mercado do ecologicamente correto, que se utiliza de ufanismos para nos empurrar produtos que de ecológicos não têm nada.


"Jeans is Murder!" - Gritarão turbas enfurecidas

Nós, os futuros profissionais da moda, precisamos de coerência e de discernimento. Portanto, antes de sair às ruas pregando o fim dos casacos de zibeline e apoiando o uso de fibras de bambu, informe-se. Façamos uma moda mais coerente.

Leia Também: O que é moda sustentável?

sexta-feira, 23 de julho de 2010

Première Brasil - Salão de Moda adianta tendências do Inverno 2011

Terminou ontem o Première Brasil, principal salão latino-americano voltado à indústria têxtil. O evento ocorreu no Transamérica Expo Center e contou com a participação de 88 empresas expositoras vindas de 10 países. A área destinada a elas teve de ser dobrada nesta segunda edição, devido ao aumento no volume de empresas participantes.

Fotos: Reprodução


Para aqueles que ainda estão se preguntando: "Première WHAT?!" Eu explico. O Première Vision é um salão de moda e tendências destinado a profissionais da Indústria de Têxtil e Moda onde são apresentadas as referências propostas para daqui duas estações. O evento ocorre nas principais capitais do mundo da moda, como Paris, Nova York, Milão e desde o começo do ano, São Paulo também sedia o salão de origem francesa.

Durante a coletiva de imprensa, Jacques Brunel, diretor geral do Première Vision explicou os motivos pelos quais o Brasil foi escolhido como localidade para sediar a versão sulamericana do salão. De acordo com Brunel, o país tem recursos e infra-estrutura suficientes para comportar o evento. A abundância de algodão e a expressiva produção de malharia foram outros fatores que levaram a organização do evento a optar pelo Brasil. Além disso, o mercado brasileiro está aquecido e isso atrai as empresas da Europa - que, convenhamos, sofreram bastante com a crise.

No salão em si, uma profusão de tecidos, cores e pessoas de diversas partes do mundo. Impressionaram-se as peças em denim apresentadas pela Canatiba. O jeans é tratado de tal maneira que ganha aspecto de couro, entretanto, o toque continua macio e leve. - Ah sim! Eles também estavam servindo uns drinks de café simplesmente gananciosos!

A editora de moda Gloria Kalil e a diretora de moda do Première Vision, Pascaline Wilhelm


O alemão Thomas Müller, da Salisbury me surpreendeu com seus mantôs, golas e acessórios em pele especialmente adaptados para o clima brasileiro - pretendo dedicar um post inteiro ao assunto. Só digo que Thomas abriu meus olhos frente a muitos preconceitos fashion que temos a respeito do uso de pele animal.

Depois de apreciar os trabalhos expostos, muitíssimo bem acompanhado pela minha amiga Laïs Pearson, fomos à Conferência de Moda, conduzida pela diretora de moda do Première Vision Pascaline Wilhelm acompanhar as referências e tendências propostas para o Inverno 2011. Não posso entregar o ouro todo agora, mas já adianto que as personalizações, surrealismos e "bizarrices" são apostas quase certas para a temporada do ano que vem.

Pascaline Wilhelm e Jacques Brunel


Faço apenas uma ressalva. Jacques Brunel, durante a Conferência de Moda, disse que as propostas apresentadas foram fruto de um trabalho específico para o público brasileiro, todavia, em alguns momentos, parece que a mensagem passada pelos franceses não estava em perfeita consonância com o mercado brasileiro - o que é natural, uma vez que essa foi apenas a segunda edição do evento no país.

Não sou a pessoa mais gabaritada para falar sobre, no entanto, penso que algumas ideias foram dispostas de maneira um pouco abstrata demais. Talvez sejam necessárias algumas pequenas adaptações de linguagem para que as tendências expostas sejam absorvidas e traduzidas mais eficazmente.

No mais, o salão desempenhou bem o papel a que se prestou. Uniu em um só lugar o que há de mais novo em tendências de moda, design têxtil e profissionais do meio intimamente ligados ao assunto.

A terceira edição do evento já está confirmada para janeiro de 2011.

Mais informações em: www.premierebrasil.biz

Agradecimentos: Fagga Eventos

quinta-feira, 15 de julho de 2010

Ensaio: Os Cinco Estágios do Luto

"Da vida, a única coisa certa é a morte!"

Já diziam nossas avós. A morte é a única certeza, é o encerramento, a conclusão e ao mesmo tempo em que é tão mística e certeira, a morte é paradoxal e controversa. Apesar de ser única e irremediável, o que a sucede é cercado de dúvida e especulação.  Parando para pensar friamente, nossa atitude frente à morte é também um pouco ilógica. Comovemo-nos tanto com um fato que, de certa maneira, foi premeditado pelo tempo

O morrer é o cessar da existência, por isso a morte nos coloca tanto medo. Queremos viver para sempre e como não somos imortais, tentamos ao máximo deixar nosso legado em vida. Talvez por isso que fiquemos tão injuriados ao sofrermos um revés. Fracassar é morrer um pouco.

Por isso, diante da morte, da doença fatal ou de qualquer perda irremediável - pessoal ou profissional - tende-se a passar por cinco fases: Os Cinco Estágios do Luto. São eles: isolamento, cólera, barganha, depressão e aceitação.

Fomos criados para ganhar e acumular, portanto, o único instante em que aceitamos a morte, verdadeiramente, é quando morremos.











Direção e Produção - Augusto Paz (@augusto_paz)
Edição de Imagem - Gerson Cruz
Modelo - Marcella da Silveira (@maaarcellinha)

segunda-feira, 12 de julho de 2010

Homem de bolsa?! - O Dilema dos Acessórios Masculinos

"Augusto, tem certeza que você vai sair com essa bolsa?"

Foi o que meu pai me perguntou quando me viu pronto para ir trabalhar: de camisa em xadrez vichy P&B, calça preta, blazer azul marinho, sapatos pretos e uma bolsona verde fluo. 

"Sim, sim" Respondi com um aceno de cabeça.

"Não é perigoso???" Ele retorquiu.


A perigosa bolsa fluo! (Customizada by me)


E realmente é perigoso, vide minha aventura na estação de Presidente Altino. Perseguições à parte, meu ponto é: os homens também gostam de acessóros, mas a oferta de itens e badulaques para o público masculino é escassa!

Não digo que seja inexistente - de fato, não é - mas a oferta de acessórios para o público masculino deixa bastante a desejar. A História não me permite mentir, os homens gostam de se enfeitar. Esse comportamento se acentuou no Rococó, mas se retraiu depois da segunda revolução industrial. A partir de então, o homem precisava mostrar à sociedade que era um indivíduo trabalhador, honrado e sério. Para tal, despiu-se de tudo que insinuasse frivolidade, nessa, os acessórios foram cortados quase que totalmente do indumento masculino.


"Homem de brinco, bolsa e lencinho! Que pouca vergonha!!!" - Dustin H. e anúncio Tom Ford


Atualmente, parece que essa tendência muda, mas muda muito lentamente - como tudo que tange a moda masculina. Os acessórios disponíveis nos grandes magazines não vão muito além dos cachecóis, luvas e óculos, o que prova que o grande público ainda não está disposto a adquirir itens mais ousados (ou que os diretores dos grandes magazines não estão dispostos a ousar).

A questão é que existe um público - longe de ser pequeno - que está disposto, e muito, a comprar e usar itens diferentes e até então um tanto estranhos ao vestuário masculino. Esses rapazes procuram por bolsas, anéis, brincos, colares, echarpes e tantos outros produtos que são geralmente usados por mulheres. Sendo pobre a oferta desses, a alternativa é recorrer ao guarda-roupa feminino. O resultado muitas vezes beira o ridículo. Todavia, é perfeitamente possível usar itens do universo da mulher sem virar motivo de piada.


@pedrowl e Rafael Caetano - Bolsa e calça justa não são sinônimos de homem ridículo


Em minhas pesquisas sobre gênero, notei algo interessante: a mulher que se veste como homem - pensem em Chanel, Marlene Dietricht etc - é respeitável; o homem que se apropria de itens do universo feminino - pensem em homens com roupas justas, bolsa e maquiagem - é risível.

Fica, então, o "ultimato fashion": ou mudamos nosso pensamento, ou que as marcas comecem a pensar nos homens que querem possuir uma bolsa especialmente planejada para eles.


quinta-feira, 8 de julho de 2010

TM Fashion - Os acessórios must-have do Verão 2011

Terminou ontem - dia 7/7 - a TM Fashion, uma feira de acessórios destinada a compradores e lojistas. Mais de 100 grifes foram reunidas em quatro ambientes no Hotel Renaissance da Alameda Santos, em São Paulo.

Fui conferir as tendências em acessórios para a próxima estação. Fiquei maravilhado com a qualidade das peças e com a criativdade dos estilistas. Os criadores brasileiros, mais uma vez, deram mostras de seu talento e de sua competência.



A seguir, algumas das marcas que me chamaram a atenção.


Armelin

As amantes do fitness e da moda vão se apaixonar. Os tênis da Armelin são hipnotizantes! As cores cítricas e as animal prints dão um ar todo sassy para os sapatos de corrida da marca. Parece que as peças foram criadas para espantar a preguiça de ir para a academia. Os modelos são arejados e bem vibrantes!





Armelin - Rua das Monções, 687 - Santo André (SP) (4427-6426 / 7896-6246)


Cosmopolita

Com ares de red carpet, a Cosmopolita, marca mineira especializada em bolsas e carteiras, trouxe à feira clutches selvagens, chics e deslumbrantes! As peças em couro acrílico têm toque macio e diferenciado - quase almofadado. Destaque para as clutches que mesclam metais e couro de arraia. O resultado é exótico e sofisticadíssimo.

Metais pesados + Couro de Arraia = Chic!!!


Couro acrílico rende texturas interessantes

Cosmopolita - Av. Francisco Gonçalves Valim, 210 - Resende (MG) (35 3423-3438 / 3414-8702)



Heliana Lages

O trabalho de Heliana Lages é, sem sombra de dúvida, primoroso. A mineira é especialista em compôr bijoux-esculturas feitas a partir de crochet com fios metálicos. As peças são feitas à mão e banhadas posteriormente. Para a coleção de verão, Heliana optou por motivos florais e tons pastel. Dá vontade de passar o dia adimrando os maxi-colares!



Delicadeza e sofisticação são as marcas de Heliana Lages

Heliana Lages - Rua Cel. Pedro Jorge, 63 - Prado (MG) (31 3312-2158)



Marcos & Rudy

Há 25 anos no mercado, a dupla já é conhecida pelos grandes estilistas. Marcos & Rudy já fizeram trabalhos para grifes como Zoomp, Forum e Maria Bonita. Conversei com Rudy, que me falou um pouco sobre seu trabalho. A dupla compõe bolsas e cintos com pegada étnica e repletos de grafismos e desenhos geométricos. Os índios são uma das referências prediletas. As bolsas inspiradas nos desenhos navajos são maravilhosas.

Índios Navajos inspiram Marcos & Rudy no Verão 2011



Marcos & Rudy - Rua Clodomiro Amazonas, 763/1º - Itaim Bibi (SP) (11 3845-1520 / 3849-7877)



Marília Bicalho

As bijoux de Marília Bicalho impressionam por diversos motivos. São delicadas, mas ao mesmo tempo passam uma mensagem forte. As peças são extremamente confortáveis e leves - eu provei algumas. Para compôr suas bijoux, Marília desenvolve uma trama metálica e depois aplica centenas de detalhes miúdos em suas pulseiras, anéis e colares. Os motivos naturais e religiosos são constantes. A peça-desejo de Marília é a t-shirt-joia, uma camiseta composta por argolas de metal que pode muito bem ser usada como maxi-colar.



T-Shirt-Joia pode ser usada como maxi-colar



Folhas miúdas conferem delicadeza ao trabalho de Marília Bicalho

Marília Bicalho - Rua Gonçalves Dias, 1922/201 - Lourdes (MG) (31 3291-6451 / 9617-6451)



Tatiana Gorentzvaig

Os sapatos de Tatiana Gorentzvaig são verdadeiras obras de arte para calçar. Além das clogs super atuais, a estilista traz para o verão 2011 sapatos que mesclam as linhas retas do Art-Déco com as linhas naturais e fluidas do Art-Nouveau. O visual é forte, mas as peças são leves e confortáveis.

As linhas do Art Nouveau e do Art Déco unem-se nos sapatos de Tatiana Gorentzvaig


Clog: um dos must-haves do verão 2011!!!

Tatiana Gorentzvaig - Rua Jaime Costa, 328 - Vila Tramontano (SP) (11 3758-3411 / 3034-5458)


TH Shoes

Aproveitando a febre dos mocassins e dos dock-sides, a TH investiu pesado em versões repaginadas das peças. Os calçados são bastante maleáveis. do tipo que a gente veste e pensa estar descalço, de tão confortáveis que são. As versões em azul-bic e com aplicações em paetês são um must-have para o verão 2011.

TH Shoes repaginou o mocassim



TH Shoes - Rua Paulo Roberto C. Coelho, 2061 (Franca, SP) (16 3711-7500)



Marcia Rocha

Com pegada rocker, Marcia Rocha propõe um verão cheio de recortes, ilhóses, tachas e zíperes grandões. Suas bolsas e carteiras são bem fortes e pedem a companhia de um bom par de ankle boots.

Ilhóses, tachas e correntes dão ar rocker às bolsas de Marcia Rocha



Marcia Rocha - Rua Bandeira Paulista, 1155 - Itaim Bibi (SP) (11 3628-6461 / 3628-6462)

Agradecimentos: Obrigado especial ao Edu Seemann e à equipe da Acervo Comunicação