segunda-feira, 13 de julho de 2009

O Deputado e a Meretriz

O nobre senhor deputado um dia fora indagado
Por uma mulher-da-vida:
"Será mesmo que o senhor presta?"
O político de moral caída deixou a questão de lado:
"Ora dama perdida! Isso não se fala a uma figura como esta!

A meretriz retruca indignada:
"Ora, dotô, não é nada.
É que outrora vi, entrando em seu carro importado,
Um sujeito muito mal encarado,
A valise que portava era seu tesouro encontrado!
Indago para obter o dado:
És corrupto ou és veado?"

"Arre! Mulher funesta!
Sou um homem de moral!
E sem esta,
De mim nada resta!
Tu és meu revés,
Vives do sexo, da festa
Levas a vida vulgar e banal.
Com ou sem moral,
Algo lhe sobra? Lhe resta?"

"Ora, deputado! Não leve a mal!
Sou puta mas sou honesta!
Enxovalhar-me não é teu serviço!
E por falar nisso, ontem te vi com uma colega minha de ofício!"

"Mas que infâmia! Que difamação!
Tua boca é uma ferida
Donde escorre a especulação!
A pobre moça, sua farrista,
Era uma diarista.
Que no gabinete faz a arrumação!"

"Desisto deste colóquio cheio de rancor,
o senhor com esta cara de paisagem,
me vence e com louvor,
Quando o assunto é sacanagem"

2 comentários: