domingo, 14 de junho de 2009

Canção do Asilo

Minha terra tem palermas
Que cantam sem saber
Que o tempo que aqui tapeiam
Os intelectuais chamam de aliteração

Nosso céu tem mais fumaça!
Nossas várzeas têm mais várzeas!
Nossos bosques não têm bosques
Nossa vida... Deixa isso quieto!

Encimar sozinho de noite
Mais prazer encontro lá
Minha terra tem palermas
Que sabiam assobiar

Minha terra tem tratores
E uns homens pra rebocar
Encimar sozinho à noite
Já tá começando a parecer safadeza!
Minha terra tem palermas
Que mataram o sabiá

Não permita Deus que eu morra
Sem que volte para lá
Pra andar nos tratores
Que não tem aqui!
E nem preciso ver os palermas, não!

2 comentários:

  1. Adoro esse poema,
    principalmente porque é do Gonçalves Dias,
    nome da rua que eu moro.
    Gostei da paródia ficou bem engraçada.
    beijos

    ResponderExcluir
  2. Oi Gu, eu já conhecia essa sua releitura =))
    Espero que seu blog tenha muitos leitores e que cresça cada dia mais!!!

    Beijão!

    ResponderExcluir